teca_edited.jpg

Estela Sandrini

Curitiba, PR, 1944

Nascida em Curitiba no ano de 1944, Estela Carmen Pereira Sandrini é uma artista visual que se dedica especialmente ao desenho, escultura, pintura e gravura.

No início dos anos 60 frequentou o ateliê de Guido Viaro e a Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP), onde se formou em 1967. Seu primeiro estágio internacional ocorreu na Argentina no ateliê do Professor Juan Carlo Labourdette entre 1971 e 1972, com foco em escultura. Ao retornar ao Brasil participou como professora e orientadora de Arte na Penitenciária Feminina de Curitiba de 1976 a 1982.

 

Mudou-se para Baltimore nos Estados Unidos em 1988 onde participou de uma série de estudos dedicados à gravura e pintura. Retornou a Curitiba no início dos anos 90, onde lecionou como professora da EMBAP. Após se aposentar das salas de aula, ocupou o cargo de Diretora do Museu Oscar Niemeyer de 2011 a 2017. 

 

A artista atuou como conselheira de instituições como: Fundação Cultural de Curitiba, Museu de Arte do Paraná, Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Museu de Arte da UFPR e do Patrimônio Histórico do Paraná.
 

Além das exposições que ocorreram por inúmeros museus de Arte de Curitiba, suas obras foram vistas por várias localidades no Brasil e no exterior. No âmbito Internacional, expôs em países como: EUA, Canadá, Espanha, França, Alemanha e entre outros.
 

Sua história com a EMBAP

Tendo se dedicado aos desenhos em parte de sua infância, já em sua adolescência, devido ao seu interesse pelas artes plásticas, Teca Sandrini ingressou na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, onde se formou na década de 60. Durante sua graduação, teve como um de seus grandes mentores Guido Viaro, então professor na EMBAP, que a incentiva a ir além dos simples exercícios acadêmicos.

Após longa carreira no Brasil e no Exterior, é a vez de Teca se tornar professora da EMBAP, durante os anos 90. Aqui, por sua vez, segue os passos de seu professor, ao incentivar seus alunos a extrapolar barreiras, acreditando na ousadia trazida pelas novas gerações.

Na Belas, se aposenta e deixa o mundo acadêmico, partindo para outros desafios, como por exemplo, a sua passagem pela direção de um dos maiores museus de Arte da cidade de Curitiba. Ainda assim, a artista declara que um dos cargos mais importantes de sua vida foi o de professora.

Sua ligação com a EMBAP continua forte nos dias atuais, ao lado de outras pessoas ligadas à cultura e que possuem história com as salas de nossa Escola de Artes, atualmente é uma das embaixadoras nos recentes esforços para a restauração da sede histórica da escola, dialogando com o estado e o município em apoio à memória das artes paranaenses e da Universidade Estadual do Paraná.

Suas obras no acervo

Na primeira obra que apresentamos, observamos sua fase de transição, na qual a artista faz a passagem do figurativo para o surrealismo abstrato, ainda com alguns dos elementos das formas femininas que também foram características marcantes de trabalhos de períodos anteriores.

Já a segunda obra representa uma das telas da sua série “Cadeiras”, que remetem ao universo cotidiano, com traços difusos que acabam, de certa forma, transacionando o objeto para o mundo conceitual. Nesta obra também percebemos o uso do branco, característica importante em seus trabalhos posteriores.

Em análises que a artista faz de sua própria evolução, Teca Sandrini fala sobre como a perda da sua visão foi retratada ao longo de sua carreira através da cor branca, trazendo as manchas claras e as luzes que passam a se destacar cada vez mais.

Outras obras da artista doadas à EMBAP também demonstram esta fase, e desta forma podemos dizer que não esgotamos aqui a totalidade de sua contribuição para pesquisas em nosso acervo.

REFERÊNCIAS

Justino, Maria José. Estela Sandrini: o sensível devaneio da racionalidade.  Curitiba: Kingraf, 1998.

Museu Municipal de Arte, Catálogo da exposição "O Sentido do Olhar - Estela Sandrini" - 2021. Disponível em: https://osentidodoolhar.art.br/

Espaço Cultural BRDE - Palacete dos Leões, Áudio-entrevista da exposição "O Que Resta -  Estela Sandrini" - 2020. Disponível em: https://www.tourvirtual360.com.br/teca/

Diário Indústria & Comércio. Reportagem "Viva EMBAP, Belas não pode morrer!". 2021. Disponível em: https://www.diarioinduscom.com.br/viva-embpa-belas-nao-pode-morrer/

Museu de Arte da UFPR, Exposição "Cenas de Interior - Informações da artista: Estela Sandrini." Disponível em: http://www.musa.ufpr.br/links/exposicoes/2020/interior/cenas_de_interior.html